• Paulo Sérgio Rosseto

PROVAÇÕES

Inverso de todo passarinho

Minhas penas pesam por dentro

Coladas às ânsias das asas da mente


Se voo e flano insensato menino

Cumpro as indesejadas sanções

Que fazem morada em meu ninho


Repreendendo os falsos modos

Liberto medos e vícios

Das plumagens da vaidade

E torno esse breve existir

O quanto possível mais leve


Suportar qualquer intempérie

Que afugente minha máscara

Do veneno que me consome

Escancara-me pecador confesso

Nada santo nada anjo nem sonso

- Porem certamente mais íntimo

Das provações do divino

E nada é mais humano que ser digno

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

a irmã gêmea de minha imagem

A irmã gêmea de minha imagem Caminha em forma de sombra em mim grudada E a cada gesto meu transfigura-se tão rara Que ninguém percebe de tão comum E se apercebe nem repara Por vezes retém dedos e traç

o que defendo porque creio

Convença-me com qualquer palavra Peça com veemência A ti disporei todos os sentidos Ouvidos Para que inteire da tua sentença Somente não exija que compadeça Não há complacência quando se força A teimo

eu tanto disse te amo

Eu tanto disse te amo porem a tão poucas que a minha boca passou a omitir a pronúncia dessa oração Acostumou-se a ficar calada para não ser repetitiva afinal com qual propósito tanto dizer uma obvia e

© 2020 by ONDAX

  • Facebook PSRosseto
  • Instagram PSRosseto