• Paulo Sérgio Rosseto

INSPIRAÇÃO

Deveria não vê-la todos os dias

Até perder o medo da saudade

Deixar de imaginar possibilidades

Excluir da rotina toda mania

Desvincular a ousadia de acreditar

Que tu ou dormes junto às estrelas

Ou vives entre todas para incandesce-las

Apagando a máscara azul do firmamento

Para que na densa negrura eu possa vê-las


Para o momento um bocejo

E mais tarde um banho de sereno

Tornará suave esse fardo de exageros

Enquanto rezo benfazejo

Os sacros ofícios das vésperas

Mastigando as contas de um rosário

Aguardo-te peregrina e eu romeiro


Eu sou a guia que se serve da cegueira fria

Dentre vocábulos antológicos de um dicionário

E tu meus dedos que te reescrevem candeeiros

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

a irmã gêmea de minha imagem

A irmã gêmea de minha imagem Caminha em forma de sombra em mim grudada E a cada gesto meu transfigura-se tão rara Que ninguém percebe de tão comum E se apercebe nem repara Por vezes retém dedos e traç

o que defendo porque creio

Convença-me com qualquer palavra Peça com veemência A ti disporei todos os sentidos Ouvidos Para que inteire da tua sentença Somente não exija que compadeça Não há complacência quando se força A teimo

eu tanto disse te amo

Eu tanto disse te amo porem a tão poucas que a minha boca passou a omitir a pronúncia dessa oração Acostumou-se a ficar calada para não ser repetitiva afinal com qual propósito tanto dizer uma obvia e

© 2020 by ONDAX

  • Facebook PSRosseto
  • Instagram PSRosseto