• Paulo Sérgio Rosseto

espiritual

Muito além das aglomerações e acima dos grupos

Mora com peculiar particularidade

O espírito que se fez parte

E a parte que se tornara única

Longe de arroubos e apupos


É como se entre capas as páginas escondessem entrelinhas

E nalgum canto delas a palavra extinta por premissa

Morasse apenas num mínimo fio de pensamento

De um livro omisso transcrito pelas eras

Presente porque nascera

Vivente por toda espera


Porque pensas que não penso

Porque achas que não sei

Porque dizes que não creio

Desprende-se dos ossos a carne inerte e dela solta a pele


Quando a morte é certa e incerta a aurora

Se a veia cansa e sozinha estoura

Já era

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo

a irmã gêmea de minha imagem

A irmã gêmea de minha imagem Caminha em forma de sombra em mim grudada E a cada gesto meu transfigura-se tão rara Que ninguém percebe de tão comum E se apercebe nem repara Por vezes retém dedos e traç

o que defendo porque creio

Convença-me com qualquer palavra Peça com veemência A ti disporei todos os sentidos Ouvidos Para que inteire da tua sentença Somente não exija que compadeça Não há complacência quando se força A teimo

eu tanto disse te amo

Eu tanto disse te amo porem a tão poucas que a minha boca passou a omitir a pronúncia dessa oração Acostumou-se a ficar calada para não ser repetitiva afinal com qual propósito tanto dizer uma obvia e

© 2020 by ONDAX

  • Facebook PSRosseto
  • Instagram PSRosseto