• Paulo Sérgio Rosseto

À PROCURA DA HORA CERTA

Estamos todos à procura da hora certa

Inventando estranhos costumes para usa-la

E nunca a achamos, mesmo estando despertos

Em constante sentinela


Dizem que há esse momento exato

De ventura ou de absoluto azar

De aguardar o fruto ser maduro

De ignorar ouvir o fluxo que condiz

E valorizar balelas presas no verso da antessala


Vivemos cercados de consensos e querelas

Desconhecendo os segredos da boa ou má sorte

Que nos apanham constantemente desprevenidos


Para onde nos levarão então

As facetas incineradas desses sonos mal dormidos?

0 visualização

© 2020 by ONDAX

  • Facebook PSRosseto
  • Instagram PSRosseto